Apresentação   Biografia   Cadastrados   Crônicas   Fãs clubes   Livros   Poesias   Prêmios   Área restrita  

 

 
 
 

Nascido em Janeiro de 1959 durante anos nunca foi apegado a escrever ou dedicar seu tempo a esta arte, talvez, quem sabe, até pelo anseio ou o desejo de gritar ao mundo coisas que todos desejam, mas que temem fazê-lo no meio de lugar algum, dentro da densa floresta Amazônica conheceu uma pessoa que lhe mostrou o dom da escrita.

     
 

 

Porém, mesmo não sendo adepto da escritas do nada, no decorrer dos anos havia dedicado algum espaço de sua vida escrevendo poesias, e as assinava com AD, a qual acabou no decorrer dos anos denominadas de "Autoria Desconhecida", porém, no dia mágico de 17 de Maio de 1999 acabou por escrever a poesias mais lida e divulgada na internet, "almas que se encontram" e ali, naquele momento, quarenta anos depois de seu nascimento, adotou o pseudônimo de Paulo Fuentes e assim, despretensiosamente começou a ¨brincar" de digitar e as coisas foram fluindo normalmente.

 

Nestes hoje pouco mais de 20 anos que se passaram, muitas coisas foram surgindo naturalmente e escreveu mais de 123 mil poesias, mais de 17.700 contos eróticos, 781 orações, mais de 25.800 crônicas políticas. Escreveu também 1.598 livros até o presente, com apenas 3 lançados, dos mais variados estilos. Ação, Auto ajuda, Aventura, Biografia, Conto erótico, Crônicas, Drama, Épico, Erotismo, Espírita, Espiritual, Fé, Ficção, Infantil, Poesias, Policial, Política, Romance, Suspense, Terror e Violência.

 

Não sossegou e quem sabe até com um desejo de luta, tal qual Dom Quixote de La Macha passou a focar os problemas político-sociais de sua pátria e a partir daí, não poupou ninguém que desrespeitasse este sofrido povo brasileiro.

 
Com já era esperado, foi perseguido e ameaçado, porém nem assim o calaram. Continuou a gritar através de suas palavras, o que sentia e o que devia fazer e foi ai que entendeu porque Paulo Fuentes surgiu, pois toda guerra só pode ser vencida quando o ideal é válido e justo, pois o desejo de
 provar que, se nossa pátria é nossa língua, a dele jamais seria calada.
 

O Brasil teve novamente uma voz que não se intimidou perante as ameaças. Paulo Fuentes nasceu e se fortaleceu na luta pós perseguições sofridas mais experiente, mais capacitado, mais vivido e renovado.
 

Enfim, tal qual a águia ou a Fênix, onde a morte, a dor e o tempo, transformam-se em molas propulsoras de uma garra, que nem de longe demonstram a idade que tem, ao contrário provam a sabedoria e a força que as tornam invencíveis.

 

O mundo mudou, o povo se acovardou, Paulo Fuentes lutou e finalmente o povo novamente acordou e em uma luta contra a corrupção, a sujeira, a covardia, a bandidagem e o descaso de políticos nocivos à sociedade as coisas mudaram e hoje, ainda no começo da mudança, sonha, assim como sonham as pessoas de bem com um futuro melhor para os nossos filhos e netos