Apresentação   Biografia   Cadastrados   Crônicas   Fãs clubes   Livros   Poesias   Prêmios   Área restrita  

 

 
 
 

Nascido em Janeiro de 1959 durante anos nunca foi apegado a escrever ou dedicar seu tempo a esta arte, talvez, quem sabe, até pelo anseio ou o desejo de gritar ao mundo coisas que todos desejam, mas que temem fazê-lo no meio de lugar algum, dentro da densa floresta Amazônica conheceu uma pessoa que lhe mostrou o dom da escrita.

     
 

 

Porém, mesmo não sendo adepto da escritas do nada, no decorrer dos anos havia dedicado algum espaço de sua vida escrevendo poesias, e as assinava com AD, a qual acabou no decorrer dos anos denominadas de "Autoria Desconhecida", porém, no dia mágico de 17 de Maio de 1999 acabou por escrever a poesias mais lida e divulgada na internet, "almas que se encontram" e ali, naquele momento, quarenta anos depois de seu nascimento, adotou o pseudônimo de Paulo Fuentes e assim, despretensiosamente começou a ¨brincar" de digitar e as coisas foram fluindo normalmente.

 

Nestes hoje pouco mais de 22 anos que se passaram, muitas coisas foram surgindo naturalmente e escreveu mais de 133 mil poesias, mais de 21.300 contos eróticos, 781 orações, mais de 26.000 crônicas políticas. Escreveu também 3.519 livros até o presente, com apenas 3 lançados, dos mais variados estilos. Ação, Auto ajuda, Aventura, Biografia, Conto erótico, Crônicas, Didático, Diário, Drama, Épico, Erotismo, Espírita, Espiritual, Fé, Ficção, Humor, Infantil, Novela, Orações, Paranormal, Poesias, Policial, Política, Romance, Suspense, Terror e Violência.

 

Não sossegou e quem sabe até com um desejo de luta, tal qual Dom Quixote de La Macha passou a focar os problemas político-sociais de sua pátria e a partir daí, não poupou ninguém que desrespeitasse este sofrido povo brasileiro.

 
Com já era esperado, foi perseguido e ameaçado, porém nem assim o calaram. Continuou a gritar através de suas palavras, o que sentia e o que devia fazer e foi ai que entendeu porque Paulo Fuentes surgiu, pois toda guerra só pode ser vencida quando o ideal é válido e justo, pois o desejo de
 provar que, se nossa pátria é nossa língua, a dele jamais seria calada.
 

O Brasil teve novamente uma voz que não se intimidou perante as ameaças. Paulo Fuentes nasceu e se fortaleceu na luta pós perseguições sofridas mais experiente, mais capacitado, mais vivido e renovado.
 

Enfim, tal qual a águia ou a Fênix, onde a morte, a dor e o tempo, transformam-se em molas propulsoras de uma garra, que nem de longe demonstram a idade que tem, ao contrário provam a sabedoria e a força que as tornam invencíveis.

 

O mundo mudou, o povo se acovardou, Paulo Fuentes lutou e finalmente o povo novamente acordou e em uma luta contra a corrupção, a sujeira, a covardia, a bandidagem e o descaso de políticos nocivos à sociedade as coisas mudaram e hoje, ainda no começo da mudança, sonha, assim como sonham as pessoas de bem com um futuro melhor para os nossos filhos e netos.

 

O guerreiro envelheceu, cansou, mas ainda está vivo e enquanto forças tiver, jamais deixará de lutar para melhorar as coisas neste país.