Apresentação
Apoio cultural
Área restrita
Biografia
Cadastrados no site
Cadastre-se
Contato
Crônicas
Fãs clubes
Livros
Poesias
Prêmios
 
 
 
 
 
 
 
 
  conteúdo do documento
 
 
 

O PAIZECO DOS BANANAS

(cr-8.006)

 
 
 
 
 

Vivemos em um país que a alguns tempos atrás era visto como a terra dos índios e das bananas, mas isso, infelizmente, acabou mudando e hoje somos conhecidos como o país dos bananas e não das bananas.

 

Muito se fala em ir para a rua e reconheço que eu mesmo fui um que já organizou dezenas destes movimentos em prol de algo que visasse o bem do povo e da nação em que vivo, mas quero ressaltar aqui que os movimentos da era de Collor para a geração Lula / Dilma mudou muito.

 

Na época de Fernando Collor o povo acompanhou o movimento com energia, com garra, com amor, com dignidade e com vontade de mudar o país, mas aquele povo envelheceu e morreu.

 

Hoje se tenta movimentos da mesma forma, mas é sempre a mesma coisa, ou pior, quando saem nas ruas, os que saem são alguns remanescentes do que sobrou da era Fora Collor que já idosos, acabam levando filhos e netos e estes muitas vezes vão a fim de não deixar o “velhinho ou velhinha” se perderem nas ruas da cidade, mas no fundo maldizem estarem ali, no meio daqueles idiotas que ainda sonham em melhorar o país para ele.

 

Pergunto a cada um de vocês...

 

- Porque ir para a rua, sabendo que os que lá estarão são uma quantidade tão insignificante que nada mexe com aquela imprensa que faz o maior auê quando uma vereadora comunista é assassinada?

 

Vivemos em um país onde um marginal, condenado a 12 anos e um mês de prisão fica impune, mesmo sabendo que a “lei” prende outros de menor periculosidade de cara antes mesmo de serem julgados e este, faz com que ministros comprados mudem a “lei” de acordo com o valor recebido de um dinheiro roubado deste povo idiota que não tem coragem de tirar a bunda da cadeira para lutar por algo que nem sabem mais o que é, ou seja, a tal honra, dignidade e amor a pátria, a si mesmo e as suas famílias.

 

Realmente vivemos no mundo do crime, onde os valores estão invertidos e somos nós, as pessoas que ainda são dignas que tem que se proteger dos demais, afinal, OS  BANANAS, do paizeco comandando pelos criminosos do poder, cada dia mais, convertem e subvertem esta nação a um poço sem fim.

 

Que me desculpe as bananas por compará-las com este lixo que se tornou a população covarde, omissa e irresponsável deste país abençoado por Deus, mas dominado por este bando de filhos da putas que nem o diabo os quer por lá, nas profundezas.

 

 
 
 
 
 
 
Copyringht©2000/2015 - Paulo Fuentes®
Todos os direitos autorais reservados de acordo com a lei nº 9610 de 19/02/1998