Apresentação
Apoio cultural
Área restrita
Biografia
Cadastrados no site
Cadastre-se
Contato
Crônicas
Fãs clubes
Livros
Poesias
Prêmios
 
 
 
 
 
 
 
 
  conteúdo do documento
 
 
 

 

44º dia

 
 
 
..........

Caraio!

 

Amanhã já vai fazê 1 meis e meiu que to aqui preso. A coisa passa rápido dimais aqui. Nem percebi e deste jeito, como disse aquele iscritô cretino que deve tê cumpradu meu apartamento, que não era meu tava certo. Passa rapidu mesmo.

 

Tava aqui pensando com o efeito da minha cachaça, qui si mi derem pinga pra eu tumar, nem vô dá trabaio e fico aqui sossegadu afinar aqui, não tenho que ficar ovindo bestera dus coxinhas, nem tenho que ficar dando prupina pra safado, nem correr risco de quema de arquivu e nem tendo que aturá filho corno e netus malcriados e nem vendo a nora falando no tilefone com u amante dela.

 

Achu que vô fazê um acordu e pidi pra fica aqui mesmo, mas vô pidi um ar conducionadu porque aqui fais um frio do caraio. Nesta noite o pulicia disse que feis menos de dois graos. E se eu não berraçe num iam mi trazê outro cobertô e eu ia morre de frio. Quase tomei toda a minha pinguinha pra mi isquentá.

 

Tava pensandu também qui não quero ser prisidente nos proxumus dia, porque na hora qui chega lá no tribuná vão impugniá mesmo e ai não dará pra lansa outro candidatu si bem qui o PT já acabô e não temus outru que preste pra coloca lá. O unicu honesto qui tinha era eu, mas achu que o dotô Moro não vai me deixá sai fácil daqui.

 

Bom, agora vô toma mais da minha pinguinha pra mi esquentá e não vô tomá banhu porque sinão vô congelá. Que porra de frio qui tá aqui. O frio é pió que a água que me servião aqui.

..........

 
 

 
 
Copyringht©2000/2018 - Paulo Fuentes®
Todos os direitos autorais reservados de acordo com a lei nº 9610 de 19/02/1998