Apresentação
Apoio cultural
Área restrita
Biografia
Cadastrados no site
Cadastre-se
Contato
Crônicas
Fãs clubes
Livros
Poesias
Prêmios
 
 
 
 
 
 
 
 
  conteúdo do documento
 
 
 

 

59º dia

 
 
 
..........

Diáriu do caraio!

 

Hoje to emburrado. Bebi poco e tô com dor di cabessa e si bebi poco foi porque hoji foi um dia em qui eu quiz tomá sol e o sol tava quentinho e esquentei um poco os oços.

 

Dipois votei pra cela e os puliças quiserão converçar comigo e não dava pra bebê na frente deles, porque eles pudiam caguetar eu pro dotor Moro.

 

Fiquei na cela dipois e tumei fui tomá banho e o xuvero tava com a residência quemada. Mi fodi, porque quando eu liguei tava um poco quente e quemou quando eu fui me insabuá. Mi fudi.

 

Fiquei morrendu de frio e como não me deram o ar cundicionado eu prifiri deitá e fica dibaxo da coberta. Tão se sacanagem comigo aqui. Não mi derão nem o microzindas, nem o frigobard, nem uma geladera e nem o ar cundicionado. Quem será que eles pensão que são?

 

Dipois disso ainda fui orbrigadu a ovir o puliça ler a porra daquele diariu que o iscritor qui me prageia iscreve em meu nome. Não suportu este iscritor. Quando eu saí daqui vô pegá ele pro pescosso.

 

Amanhã farão doiz mezes que to aqui preso. Doiz mezes qui nem divia ixistí e se to aqui é por cupa daquele adivogadu filho da puta qui mi engano. Mi fudi di novo.

 

To priocupadu com a porra do trem bala da cumpanhera Dilma. Aquilo vai acabar sobrando no meu rabo. Que merda.

 

Agora vô bebê e dipois vô vê a porra da novela da grobo, porque não tenho o que fazê.

..........

 
 
 
 

 
 
Copyringht©2000/2018 - Paulo Fuentes®
Todos os direitos autorais reservados de acordo com a lei nº 9610 de 19/02/1998