Apresentação
Apoio cultural
Área restrita
Biografia
Cadastrados no site
Cadastre-se
Contato
Crônicas
Fãs clubes
Livros
Poesias
Prêmios
 
 
 
 
 
 
 
 
  conteúdo do documento
 
 
 

 

63º dia

 
 
 
..........

Diáriu!

 

Que sodade mi bateu hoji dos tempus em qui eu era apenas um meninu. Eu sabia sorri mesmu não tendo nada pra comê, eu de çerta forma era felis.

 

Fiquei pensandu nu qui me transformei. No que eu fis comigu mesmu e neste momentu eu chorei.

 

Não sô viado. Nem pense nisso. Possu sê broxa, mais viadu não. Eu era simples e quem mi conheceu naquela época sabe dissu, mas certu dia, vendu qui pobres nunca terão lugar im lugar nenhum resolvi mudar e comecei a me dar bem.

 

Não bebia e comecei a beber. Não enganava e comecei a engar. Não roubava e comecei a roubar e dai a vida mudô.

 

Enganei um povo todu e senti o praser e o sabor do poder. Fui manipuladu e manipulei e no final ondi mi encontru hoji?

 

Trai e fui traído. Sacanei e fui sacaneadu e pior de tudu iço é que fui sacaneado pelu filhu da puta de uma adevogado que prometeu qui se eu mi entregaçe ele mi tiraria daqui em 4 dias e mi fudi. Quando sair daqui eu não vou matá o doutor Moro primeiro e nem o cretino do escitor, mas sim este adevogado do caraio. Ele que me aguarde.

 

Agora vou bebê minha cachaça purque só ela me fais sentir saudade. Que porra do caraio. Iscrevi merda dimais.

..........

 
 
 
 

 
 
Copyringht©2000/2018 - Paulo Fuentes®
Todos os direitos autorais reservados de acordo com a lei nº 9610 de 19/02/1998